Selva urbana

Hype das plantas dentro de casa diz muito sobre as vontades e desejos do nosso tempo    

Selva urbana

Por:

Ligia Carvalhosa

Ligia Carvalhosa | 21/11/2017

Ela pode ser pequena e única ou podem ser muitas, uma selva em pleno concreto. Lisas, com estampas, furadas, densas, manchadas. As plantas são o objeto de decoração mais quente do momento. Diferente de um quadro ou de uma escultura, elas pedem que você coloque a mão, regue, cuide e sinta.

Diferente de um quadro ou de uma escultura, elas pedem que você coloque a mão, regue, cuide e sinta

É uma relação construída, que demanda tempo – o tempo do crescer, o tempo do amadurecimento, o tempo do florescer, o tempo do tempo. Reflexo dos nossos dias, essa volta do verde para dentro de casa diz muito sobre as vontades e desejos do agora. Diz sobre querer construir, querer se relacionar, querer entender a origem do que tocamos.

Interior da nova loja da Selvvva | foto: reprodução

Não à toa, a cor eleita pelo Pantone para o ano de 2017 foi o Greenery, um verde lavado inspirado pelo início da primavera. “A cor traz a segurança e a esperança que precisamos em tempos de um ambiente social e político tumultuado", explicou Leatrice Eiseman, diretora executiva do Pantone Color Institute, na época do anúncio. Natural foi o número de sites e perfis no Instagram que fizeram das casas-selva o seu foco principal servindo de inspiração para uma turma que busca se reconectar com a natureza. Percursores, Judith de Graaff e Igor Josifovic criaram o Urban Jungle em 2013. No último ano, transformaram a comunidade de amantes de plantas em livro homônimo ao blog. A designer Justina Blakeney, do @jungalow, voltou seus olhos para a decoração de interiores e viu sua habilidade em misturar plantas com a estética boho cair nas graças das editoras e aficionadas por moda – Giovanna Battaglia, Viviana Volpicella, Margherita Missoni são seguidoras. Os perfis @thepottedjungle, @_j_u_n_g_l_e_ e @houseplantclub completam a cena verde que tomou de assalto o feed do Instagram.

 

Clique do Instagram da The Potted Jungle | foto: reprodução

No Brasil, a Selvvva virou referência com seus suportes funcionais e elegantes desenhados pelas arquitetas Denise Yui e  Julia Rettmann. A estética minimalista vintage deu tão certo que as meninas precisaram mudar de uma pequena sala de vidro na Galeria Metrópole, no Centro de São Paulo, para uma espaço maior. Aproveitaram para se unir a Escola Botânica. No novo endereço, em Santa Cecília, além dos em vasos e cachepôs exclusivos, oferecem cursos de jardinagem, outro hype do momento e caminho quase natural de uma turma que fez dos arranjos uma profissão. Caso do casal Carol Nóbrega e Antonio Jotta, do Flô Atelier Botânico. Eles começaram o projeto em 2013, com arranjos, terrários e vasos. Hoje, ocupam o térreo de um prédio projetado pela Triptyque Architecture na Vila Madalena. Lá, além das flores, ministram workshops e até drinks e comidinhas ligados ao universo da botânica.